22 de jan

Peça encontrada na Tumba do Senhor de Sipán (Peru)

Lambayeque-Tumbas Reales de Sipán (Peru)

Museo Tumbas Reales de SipánDSC01794 300x229 Lambayeque Tumbas Reales de Sipán (Peru)

Geeente, pense numa coisa eeeespetacular!

Como tínhamos deixado este museu para a volta, entramos em Lambayeque, e nem de longe imaginávamos o que encontraríamos.

Lambayeque é uma pequena cidade a 12km de Chiclayo, onde pretendíamos dormir. Naquele deserto que é a costa do Peru, o Museu de cor vinho e em forma de pirâmide surgiu como uma miragem. É uma construção muito bonita, compacta, em uma ampla praça.

Na entrada contratamos um guia muito competente e entramos em um dos Museus mais espetaculares que eu já vira. Vovó gosta de contar histórias pois, contarei uma historinha interessante. Estamos acostumados a pensar a História do Peru a partir dos Incas, mas antes deles muitas civilizações já estavam estabelecidas naquela costa. Sipán é um Sítio Arquelógico de 1.700 anos, da cultura Moche, século III de nossa Era e, existem mais antigas, como a Chavín, Caral, mas essa é uma outra historinha. Lembrei-me de ter visto na National Geographic, uma reportagem sobre as descobertas desse Sítio. Foi uma aventura tipo Indiana Jones, com perseguições e até morte. Imaginem que, em dado momento, o Arqueólogo peruano Dr. Walter Alva, que trabalhava em um outro Sítio ali perto, observou que nas redondezas de Chiclayo estavam sendo vendidas, no mercado negro, peças muito diferentes e valiosas, concluiu que os ladrões haviam descoberto alguma tumba ali perto. Através de contatos, muito cuidadosos, chegaram às suas mãos algumas peças e ele imediatamente convocou outros arqueólogos, a polícia, camponeses das redondezas e descobriu que uma tumba havia sido violada pelo “huaqueros” (pessoas que roubam huacas que são as construções arqueológicas feitas de tijolos de adobe). Começaram as escavações em Sipán. Conforme as escavações continuaram expuseram o que se convencionou chamar de a Tumba do Senhor de Sipán. Esta tumba nunca havia sido tocada pelo homem após ter sido fechada quando ele morreu há 1700 anos, conforme datação com carbono 14 realizada nos EUA. Após sua morte, já que ela era apenas um estágio para a outra vida, ele, aos 43 anos foi enterrado em uma câmara de madeira com todos os seus pertences isto é, centenas de peças de ouro ou de cobre revestidas de ouro, incrustadas com pedras semi preciosas, cerâmicas, suas esposas, um chefe militar, dois cachorros e uma lhama.

DSC01778 300x213 Lambayeque Tumbas Reales de Sipán (Peru)

Uma outra tumba, de um sacerdote, também foi encontrada com outros tesouros intocados e acompanhantes os quais, na outra vida, viveriam com ele. Mais abaixo, no ultimo piso, outra tumba também valiosa, desta vez do Velho Senhor de Sipán, com um menor número de objetos mas, muito valiosos. Uma vez que o cemitério tem sete pisos, três foram encontradas e uma saqueada, ainda faltam três tumbas. Que segredos revelarão? As cerâmicas da tumba do Senhor de Sipán estavam perfeitas e são extremamente elaboradas, desenhadas e esculpidas representando animais e rostos de pessoas. As joias, como coroas, protetores de orelhas (as quais eram alongadas desde criança), de boca (para alterarem a voz), de ouro e cobre revestido de ouro (em uma técnica de martelamento, ou aurificação) estavam sujas de terra e, após limpas e polidas mostraram todo o seu esplendor e sofisticação. Os peitorais, em número de onze, feitos de pedacinhos minúsculos de conchinhas coloridas que estavam soltas pois o fio de algodão que as unia se deteriorara no entanto, corretamente dispostas, o que facilitou muito sua reconstituição. Os experts levaram 14 meses para terminarem o trabalho na primeira. Protetores de boca que eram metidos em um orifício no nariz serviam para mudar a voz, também em ouro e uma infinidade de objetos em perfeito estado estão competentemente expostos, com uma iluminação direcionada perfeita, que reflete os contornos dos objetos metálicos no chão proporcionando um efeito dramático.

Além de objetos, durante as escavações, foram expostas a grande pirâmide da administração, do templo e, logo abaixo o cemitério do qual lhes falei. Fiquei imaginando o efeito da figura do Senhor de Sipán no topo de uma das pirâmides, com suas vestes de ouro a brilhar, falando com uma voz diferente, que impressão devia causar no homem comum!

O Museu tem três pisos e a História é também contada em painéis. Fomos levados a reproduções das tumbas e, finalmente aos ossos dos senhores. Descobriu-se que o Senhor de Sipán tinha uma doença séria nos ossos , uma osteopenia grave, por isso estavam bem deteriorados, o que não aconteceu com o Velho Senhor que morreu mais velho com os ossos bem mais conservados. Saí de lá embasbacada. Coloquei meu queixo no lugar, os molares em oclusão e fiquei por ali pensando um pouco. A meu ver esta descoberta foi tão importante quanto a descoberta do túmulo de Tutankamon no Egito. Botamos o Troller para andar. Não dormimos em Chiclayo. Dormimos em Trujillo. Novamente olhei para aquela Plaza de Armas, e como o dia tinha sido muito especial, em um acesso de empolgação concluí que aquela Plaza de Armas, juntamente com a de Cuzco e Arequipa são as mais bonitas que eu conheço. Aquela é alegre colorida e…etc., etc..No dia seguinte descemos até Barrancas para visitar o Sítio Arqueológico de Caral.

2 respostas a Lambayeque-Tumbas Reales de Sipán (Peru)

  1. Meire disse:

    Nossa que viajem incirivel!!!!!!!!
    Realmente uma aula de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>